Pequenas asas

Como podem os passarinhos sobreviverem sem alçar vôo? Como podem as estrelas alimentarem sistemas inteiros sem se permitirem expandir e brilhar?

Não sei se foram os demorados tempos de sombras que me fizeram deixar de ver duas delicadas asas, transparentes feito cristal, tímidas, esquecidas, amassadas pelos pesos de tantos problemas de um mundo inteiro.

Ah! Mas uma flor precisa se entregar ao vento, rodopiar livre e levemente, causando, talvez, a impressão de que segue sem destino, quando, na verdade, está se jogando, integralmente, em confiança em Deus.

Quantas moradas há na casa de meu Pai? Quem são meus irmãos e mãe? Ah.. se sua fé tivesse o tamanho de um grão de mostarda…! Amaria sempre e seguiria, atendendo aos chamados mais improváveis da vida, sem sequer titubear.

Porém, agora me recordo. De um feixe de luz, emanado pelo Teu amor, vejo refratarem e refletirem as asas tímidas.
Elas precisam aprender a voar.

Neste pequeno ensaio presente, peço que me perdoem os tombos, os roxos, o corpo quebrado. Me perdoem se às vezes os machuco em minhas próprias quedas. Não é por mal, estou aprendendo. Estou aprendendo tanto!

image

Marina Soares

Anúncios

Nem tudo

Nem tudo merece resposta.

Nem tudo merece o meu dessossego.

Nem tudo merece meu esforço e dedicação.

Nem tudo merece a aplicação de minhas forças e energia.

Nem tudo me convém.

Nem tudo é como eu entendo.

Nem tudo se mostra como é.

Nem tudo é destinado para mim.

Nem tudo me diz respeito.

Quase nunca sou indispensável.

O sol brilha e alimenta a Terra, seguindo seus propósitos, se colocando e se retirando todos os dias, em momentos só seus.

A lua respeita sua própria sombra e não deixa de se fazer constante astro a configurar o cenário principal da noite, ainda que em diferentes fases.

As estrelas nem sempre aparecem, mas nunca deixam de estar e ser.

O vento está sempre a nos envolver, humildemente, sem sequer ser visto.

A chuva hidrata o planeta como um todo: os homens, as cidades, os animais e a natureza. E, logo em seguida, sem muito alarde se retira. Dá lugar ao sol e ao Arco-íris.

E se não fossem os grãos de areia para dar suporte ao mar?

Ah! Tão infinito é o universo e tão imenso é tudo que me compõe, que me faz ser.

Graças dou, porque nem tudo.

Ame

” – Vai, meu amigo, e mostra-lhes o novo rumo. Tem coragem e resiste ao venenoso fluido da cólera. Usa a serenidade e a delicadeza”.

Perdoa. Todo mal que te fizeram e que ainda vão fazer. Desde já, compreenda. Ainda quando há, na ação de ferir,  intenção de machucar, é por não haver no coração do agressor a confiança consolidada nos pacíficos conselhos do Mestre Jesus.

Talvez o falte vivência de situações que, não duvide, pela mesma bondade do Pai que hoje te acolhe e te abraça com ensinamentos firmes e amorosos, hão de acontecer.

Perdoe os descuidados, os ignorantes do amor, os repetentes na escola do erro, os que inspiram discórdia, os que se alimentam de empecilhos e polêmicas, os preguiçosos, os intolerantes, os inflexíveis, os indisponíveis, os orgulhosos e arrogantes. Perdoe a si mesmo quando for cada um deles.

Liberte-se desse peso todo. É necessário, ou você não vai aguentar. E você merece mais que passar pela vida aguentando situações. Você merece viver com alegria. O mundo também merece a sua alegria.

Tenha calma e confiança. Lembra do tanto de vezes que você achou que não haveria mais saída. Lembra do tanto de vezes que de fato não havia mais o que fazer. E, no entanto, “quando se pensa que não há mais saída, é aí então que Deus age”. E, no entanto, tudo isso JÁ PASSOU.

Hoje você é tão mais forte, tão mais seguro, tão mais amável, tão mais resplandescente. Hoje a gente te olha e quase não dá pra dizer que você é alguém que já vivenciou tudo isso.

Perdoar exige uma renúncia que a maioria desconhece, por não praticá-la dentro de si. Perdoar exige aplicação constante do amor a si mesmo, e, por consequência, do amor ao próximo.

Através das boas ações o mais endurecido coração que te persegue pode tornar-se um fiel amigo benfeitor. É que somente através das boas ações qualquer pessoa pode conhecer a bondade do Pai, fluindo através de você apenas se você permitir e desejar.

Existem corações que só precisam sentir este conhecimento para reformarem-se no amor. Quanto aos que não podem, ainda, porquanto não compreendem sequer a ideia do bem, merecem ainda maior auxílio e paciência. São de tudo crianças, como você também já foi.

Seguiremos sempre acompanhados em nossa jornada, porém não com ilusões de paixões eternas a satisfazerem nossas demandas afetivas como se coubesse ao mundo a responsabilidade do cuidado de nossas emoções – e não a nós.

Seremos acompanhados pelos amigos de alma, pelo amor de corações sinceros, pelas pessoas da fila de espera do hospital, pelos passageiros do ônibus, pelas pessoas do caminho, pelos gatos e cães da rua, pela poesia, pelos livros, pelas artes, pelas músicas, pelas flores e árvores, pelo vento e pelo céu.

E estaremos, ao mesmo tempo, sempre a sós. Pois como nós, não há ninguém no mundo inteiro. Que, para os caminhos do mundo, escolhamos ser flores.

image

Se joga

Que a vida, meu bem, não vai te esperar. O tempo, esse danadinho… precisa passar e passar. E que bom é enquanto, aconchegante adverbio.

Antes e depois só a mente alcança. O coração precisa pertencer ao agora. E pulsar, pulsar. Corre, vai! Se joga.

Mas não o faça de qualquer jeito, em qualquer lugar. Pense no que realmente faz valer alguns machucados e cicatrizes. Na boa, não é isso: é outra coisa e você sabe. Nosso sentimento sempre nos entrega o que é importante.

Se joga e confia ! Você vai cair com certeza, vai se machucar mais vezes do que pensa poder regenerar. E vai sorrir, vai sentir, vai ser, vai viver, vai se conhecer e crescer. Vai descobrir que é um ser incrível, igualzinho a outros seres incríveis com quem vai tropeçar pelos caminhos.

Você pode muito mais do que imagina. Você vale a pena e todas as aves do céu.

Lembra dos Lírios do campo, tá? Eles são assim por confiar.

Um dia, quando você estiver bem dolorido, Deus vai te emprestar uma estrela dele, pra te ajudar a enxergar o universo inteiro do qual vinha se esquecendo. E, assim, do nada, você vai voltar a sorrir. Vai acender sua própria luz.

E vai ser assim: entre roxos e band aids; entre contusões e curativos, entre cicatrizes e maquiagens. Uma coleção infindável de vida que pulsa e pulsa… agora.

image

Tudo posso

“Alegrai-vos sempre no Senhor; e novamente vos afirmo: Alegrai-vos! Seja a vossa amabilidade conhecida por todas as pessoas. Breve voltará o Senhor. Não andeis ansiosos por motivo algum; pelo contrário, sejam todas as vossas solicitações declaradas na presença de Deus por meio de oração e súplicas com ações de graça. E a paz de Deus, que ultrapassa todo entendimento, guardará o vosso coração e os vossos pensamentos em Cristo Jesus.

Concluindo, caros irmãos, absolutamente tudo o que for verdadeiro, tudo o que for honesto, tudo o que for justo, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, nisso pensai. (…)

Não vos declaro isso por estar necessitado, porquanto aprendi a viver satisfeito sob toda e qualquer circunstância. Sei bem o que é passar necessidade e sei o que é andar com fartura. Aprendi o mistério de viver feliz em todo lugar e em qualquer situação, esteja bem alimentado, ou mesmo com fome, possuindo fartura, ou passando privações. Tudo posso naquele que me fortalece“. (Filipenses, 4: 4-8 e 11-13

Sei que às vezes sentimos o mundo pesado demais. Sei que às vezes é tempo de neblina e tempestade. Sei das mudanças de estações. Sei de uma dor tão profunda que preferiria que não conhecesse.

Sei também de amanheceres e despedidas do sol estonteantes. Conheci paisagens que clamam por reverência ao bondoso Pai. Sei das pessoas de luz e de amor. Sei das pessoas de luta e de aprendizado. Sei da alegria do amor, do trabalho e do bem.

Sei das ilusões, sei da hora errada. Sei das distrações, dos disfarces, do orgulho e da insensata vaidade. Sei do despreparo e da incompreensão. Sei do tempo de cada um.

Sei que não há outra lei fora do AMOR.

Por isso, sigo.

Por isso, rastejo.

Por isso, recomeço.

Por isso, confio.

Por isso, vivencio.

Por isso, me perdoo.

Por isso ofereço o melhor que há em mim.

Tudo posso seguindo a lei de meu Pai.

Auto-amor

Reconhece e aceita as próprias imperfeições, sem dar a elas maior valor do que merecem colocando-as no pedestal da auto-piedade. Elas são sinais preciosos para a reeducação de si mesmo na conduta evangélica, então não as mascare fingindo ser o que você não é. Aceitar a própria condição interior é a única forma de modifica-la. Esforce-se na vivência do equilíbrio entre o que você quer ser e o que você pode oferecer atualmente, trabalhando incessantemente no auto-aperfeiçoamento real.
Você conhecerá a bela realidade das sublimes palavras do Mestre: “Amarás a teu próximo como a ti mesmo”; pois quanto mais conhecemos sobre nós, mais facilmente perdoamos as dificuldades alheias, uma vez que sentimos e sabemos como é doloroso o peso das consequências de nossas más ações e podemos ter empatia com o sofrimento do outro. “O amor universal deve começar dentro de nós” para que sejamos luzes acesas em nosso caminho e no de tantas outras pessoas!
Não é fácil preferir se amar a se envaidecer; tampouco escolher se perdoar a se martirizar ou se responsabilizar a se culpar. É extremamente difícil e d-o-l-o-r-i-d-o-!- abrir mão dos hábitos enraizados no conformismo e na preguiça, nas ilusões do ego e nas dissimulações do medo de encarar a realidade.
A cada segundo em que você se ama verdadeiramente, você está consciente do que significa ser filho de Deus.

Texto de 27 de janeiro de 2013, mas poderia ter sido escrito hoje :)