Eterna batalha

Eu poderia discursar
Sobre reflexões e pensamentos
E poderia só falar
Soprar idéias ao vento
Poderia, entao, insistir
que estou certa e que sei
E poderia até fingir
Pra mim mesma que não errei
Eu deveria escutar
O que tem a propor
E deveria não opinar
Nem pensar em me opor
E deveria concordar
Que está certa, eu sei
Mas eu iria analisar
Sua falha e limitação
E deveria me calar
Ante sua falta de visão
O dever arranha, tímido, te limita
O poder, em chamas, não se acanha, grita
Deixar queimar-se ou deixar que queime
Deixar queimar-se ou deixar que queime

Eu poderia discursar

Sobre reflexões e pensamentos

E poderia só falar

Soprar idéias ao vento

Poderia, entao, insistir

que estou certa e que sei

E poderia até fingir

Pra mim mesma que não errei


Eu deveria escutar

O que tem a propor

E deveria não opinar

Nem pensar em me opor

E deveria concordar

Que está certa, eu sei

Mas eu iria analisar

Sua falha e limitação

E deveria me calar

Ante sua falta de visão


O dever arranha, tímido, te limita

O poder, em chamas, não se acanha, grita

Deixar queimar-se ou deixar que queime

Deixar queimar-se ou deixar que queime

Anúncios

8 pensamentos sobre “Eterna batalha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s